Querendo mudar de vida? Conheça as histórias inspiradoras dessas mães que trocaram o emprego formal pelo empreendedorismo:

12 de maio de 2017




Olá mães vaidosas queridas! Primeiramente, gostaria de desejar um MARAVILHOSO, ABENÇOADO E ESPETACULAR dia das mães para todas!   Gostaria de poder dar um abração em cada leitora nossa aqui do MV!


Hoje, compartilho com vocês, 4 histórias que irão inspira-las a seguirem seus instintos, paixões e dons e - POR QUE NÃO? - Tomar aquela coragem boa que muitas vezes nos falta para MUDARMOS!



São 4 relatos de mães reais para mães reais! De mulheres que deixaram as profissões de lado para montarem seus próprios negócios, do 0! 

De mães batalhadoras, criativas e que não se deixaram abater pela dificuldades e crises encontradas no meio do caminho.Pois SEMPRE, sempre é possível mudar.




Frisamos muito isso aqui no blog, pois somos fãs do empreendedorismo materno, o legítimo espírito empreendedor, que nasce MUITO mais forte em nós, mulheres, quando temos filhos. Seja por necessidade financeira ou da alma, em algum momento da vida nós vamos pensar (e pesar!) se vale a pena continuarmos no emprego, se vale a pena colocarmos na creche...se tomamos a decisão certa. 

Este post, é um presente nosso, para você, mamãe, que está se sentindo perdida, cansada e sem saber como fazer para mudar sua situação atual!

Quem sabe, você não tire forças e boas ideias daqui, para recomeçar e ter a sua tão sonhada independência?!

Espero, do fundo do coração, que sim!

Então, vem comigo conhecer nossas 4 SuperMom´s de hoje!


Nataly Nesi, Guarulhos - SP. Assistente Financeira, atual proprietária da "Explosão Brigadeiro"



"Olá, Meu nome é Nataly, tenho 27 anos, sou de Guarulhos / SP. Mãe da Lívia ( 5 anos ) e da Clarissa (8 meses). Quando a Lívia nasceu não tive opção e voltei a trabalhar logo que a minha licença acabou e minha mãe foi quem cuidou dela, no começo foi muito difícil, pois você não quer ficar longe do seu bebe ainda mais a minha que era minha primeira filha. Perdi muitos momentos dela , descobertas e afins. Quando engravidei da Clarissa já tinha em mente que não queria ficar longe dela, mas precisava trabalhar, a parte financeira sempre fala alto. Até cheguei a cogitar colocar ela em um berçário, já que minha mãe dessa vez não poderia ficar com ela, sai chorando de todos. 


Quando minha licença estava quase acabando conversei com meu marido e decidimos que eu iria ficar em casa cuidando das meninas, nós apertaríamos o cinto, cortaríamos algumas regalias e eu estaria perto delas em tempo integral. Foi a melhor decisão da minha vida, pois estou em casa e elas estão sempre comigo, a mãe é muito importante na vida de um filho e quero que elas tenham memórias de mim e não que elas tenham presentes para suprir minha ausência. 


Ficar em casa não é fácil como muitos pensam, pois a casa vem de brinde e cuidar das meninas e da casa é tarefa árdua. Eu sempre fui muito ativa e mesmo com tantos afazeres em casa ainda queria algo que mantivesse minha cabeça trabalhando, foi ai que surgiu a idéia de criar um negocio em casa. Criei a Explosão de Brigadeiros, junto com minha cunhada.

Só posso dizer que foi maravilhoso entrar em um ramo que jamais pensei que daria certo. Nunca tive habilidades manuais e me descobri no mundo de brigadeiros e doces, em cada soneca que a Clarissa tira, eu enrolo brigadeiros ,faço doces e vou me ajeitando. Meu negocio de brigadeiros está crescendo a cada dia e estou muito feliz, pois a parte financeira deixa a gente preocupado. 


Não é fácil fazer tudo isso ao mesmo tempo, e é por isso que somos chamadas de mães, pois damos um jeito para tudo.  

 Para quem pensa em ficar em casa cuidando de seu filho, eu só posso encorajar e dizer que sim, seu filho é muito importante na sua vida e nenhum dinheiro no mundo paga momentos perdidos ao lado dele. Vale a pena fazer sacrifícios. Sei que vão crescer e nem lembrar talvez, mas eu sei também que fiz o meu melhor."



Explosão de Brigadeiros. (11) 99952-1093. Facebook: Explosão de Brigadeiros . 

Email: explosaodebrigadeiro@hotmail.com. Instagram: @explosaodebrigadeiro  

Cris Bello, Poa- RS. Advogada e consultora de beleza Mary Kay.



"Acredito que muitas pessoas já tenham ouvido falar na empresa Mary Kay, ou pelo menos visto os famosos carros cor de rosa que desfilam pelas ruas de diversas cidades do Brasil. Conheci a oportunidade Mary Kay através de uma amiga de adolescência que estava oferecendo sessões de cuidados com a pele e após uma make, onde ela precisava de fotos do “antes e do depois” das participantes da sessão. Na época da sessão eu recém tinha voltado para minha cidade natal com minha família, após longos sete anos morando em outro estado.


Na ocasião da referida sessão de cuidados com a pele, minha amiga Ana apresentou a oportunidade do negócio, porém, na época, não me chamou atenção. Como assim? Eu me tornar uma consultora de beleza? Pensei: “nunca vendi nada”. Eu tenho uma profissão, fiz faculdade, especialização... Mal sabia eu que a oportunidade Mary Kay é para todos, mulheres e homens, que buscam uma real mudança na vida para melhor!

Após um ano de volta à minha cidade natal, com um filho de seis anos e outra filha de dois, mesmo trabalhando como profissional liberal eu precisava ter uma renda fixa ou, no mínimo, alguma atividade que me garantisse ganhar mais dinheiro para contribuir nas despesas de casa.


Por conta disto procurei emprego, mas o fato de ter mais de trinta anos, somado ao fato de ter duas crianças pequenas, as portas acabaram se fechando, mesmo eu tendo um bom currículo e experiência.


Após algumas negativas de emprego, segui trabalhando por conta na minha profissão e lembrei então da oportunidade Mary Kay. Chamei minha amiga Ana para uma conversa, que levou dois dias. Perguntei tudo. Queria saber das vendas, da empresa, dos lucros, da carreira...
Saber que eu poderia conciliar minha profissão e meus projetos e ainda trabalhar no negócio Mary Kay para conquistar uma boa renda extra, ser acolhida nas reuniões da minha unidade por uma diretora maravilhosa, sempre disposta a tirar dúvidas pessoalmente, por telefone, por aplicativos de mensagem e, principalmente MEUS FILHOS serem acolhidos nas reuniões, fez com que eu me apaixonasse e me dedicasse ainda mais para esta empresa maravilhosa.


Confesso que tive medo de entrar para o negócio. Meu marido também tinha receio pois nunca trabalhamos com vendas. Afinal, eu “não sabia vender”! Ocorre que nesta empresa você não é uma “vendedora” e sim uma consultora de beleza que estuda, senta com sua cliente e vê suas reais necessidades, seja de cuidados com a pele do rosto /corpo ou maquiagem e isto cria verdadeiros laços de amizade e carinho com as clientes que fidelizam conosco pela qualidade dos produtos, por nosso conhecimento e atendimento diferenciado.


Hoje estou focada na carreira dentro do negócio Mary Kay. De forma bem simplificada explico: você começa sendo uma consultora de beleza independente, gerencia os dias e horários que deseja trabalhar, vende os produtos e, se quiser, pode se tornar uma diretora de vendas independente.

Mary Kay é uma empresa de vendas diretas de cosméticos. Foi fundada no ano de 1963 em Dallas, Texas, nos Estados Unidos e está presente no Brasil desde 1998. Se você deseja se tornar uma consultora de beleza independente, ter uma mudança na sua qualidade de vida, entre em contato comigo. Posso conversar com você e ser sua iniciadora, mesmo que você more em outro estado.

Hoje posso dizer que tenho minhas clientes e gosto do que faço, pois, além de uma renda extra, ajudo mulheres a se sentirem mais bonitas e a mudarem suas vidas ao oferecer a oportunidade de entrar neste mundo cor de rosa." 

Quer conhecer mais sobre a Mary Kay? Fale comigo! E-mail: crismafrab@hotmail.com. Tel: (51) 9.9599-3646. Cris.

Fabiana Lopes, Belo Horizonte - MG. Mecânica/Costura Industrial, Artes Plásticas e proprietária da "Colorê Fantasias & Personalizados"



"Tenho dois filhotes, o João com 5 anos e o Fabrício com 1 ano. Profissionalmente tenho uma estrada cheia de curvas e experiências: Sou formada em Mecânica Industrial, Licenciatura pra Artes Plásticas (vulga Educação Artística rsrs) e Costura Industrial (tudo a ver né hahaha). 

Quando João nasceu eu era compradora de uma indústria. Os planos eram voltar da licença maternidade, trabalhar 2 meses pra treinar alguém e eles me mandariam embora pra eu pelo menos pegar os benefícios e segurar a onda por um tempo. Maaas aí, voltei da licença, João ficou no berçário e além da rotina ter ficado impossível (eu pegava serviço Às 07:00 e largava 17:00) eu senti uma negligência com relação ao bebê quando chegou um bilhete pedindo pra cortar as unhas dele (gente, como que eu não notei uma coisa dessas no meu próprio filho?!!) que me desmoronou. 


Isso foi numa sexta feira, liguei na empresa e disse que eu não iria mais. Saí com 15 dias de retorno da licença com uma mão na frente e outra atrás porque nem assinando um termo abrindo mão da minha estabilidade eles não quiseram me mandar embora. Meu acerto deu 380,00 em 5 ANOS DE CASA. Paciência, eu precisava ficar calma pra me organizar.
Eu já havia começado a trazer uns badulaques da China pra revender e estava até dando certo mas o dólar começou a subir, subir, subir e ficou completamente inviável pela demora e a dificuldade de giro. Então eu comecei a customizar Body de bebê e fazer sapatinhos de tecido. Eu costuro desde uns 8 anos de idade, o conhecimento da Faculdade de Artes foi essencial pra desembolar a criatividade, então juntei o útil ao agradável e comecei a fabricar minhas peças. 

Peguei um body do João que eu gostava muito mas era muito quente e desengonçado e coloquei na cabeça, eu vou fazer melhor. E fiz! Fui filtrando os produtos, inventando moda, melhorando a qualidade do meu trabalho, e hoje, tem 5 anos que estou no mercado. Hoje minha gama de produtos é bem extensa, dentre o que faço, personalizo camisas pra família e empresas, faço fantasias, faço roupinhas personalizadas para aniversário e outras ocasiões, invento moda, muita moda haha!

Fabrico artesanalmente praticamente todas as peças e sou muito feliz com meu ofício de artesã costureira micro empresária.
Dei tanta volta na minha vida profissional pra me descobri no que eu faço desde criança, que é costurar!



As tarefas de casa dividimos em partes iguais, a casa é nossa, nós cuidamos dela. Rodo que nem um peru mas no fim tudo dá certo, o importante é estar feliz e segura no que desejo pra mim e pra minha família.

Como meu marido não está mais conosco eu assumi toda a parte de logística, tenho várias clientes e quem já me encontrou para entrega já viu como ando na rua: Menino na frente, mochila nas costas e muita disposição!

Trabalho em casa, minha mãe é minha funcionária, e vou pela ordem de prioridades porque apesar de trabalhar em casa eu definitivamente não dou conta de tudo e tbm não sofro mais com isto: Primeiro cuido dos meus filhos, depois pago as contas, depois vem a casa, meu marido no momento tbm trabalha fora, mas nos últimos 3 anos ralou no nosso negócio de família na parte de compras, entregas e logísticas.
Não tenho problema algum em levar o bebê comigo pra rotina de compras e entregas, a gente se entende bem, ele nasceu no meio desse furdunço e é totalmente adaptado ao nosso trabalho.

 Trabalho em casa com filhos é isso aí, tudo integrado, junto e misturado, se tá todo mundo feliz e está rendendo é o que interessa. Com o tempo as coisas se ajeitam, só ter paciência e amor pelo que se faz, com amor tudo tende a melhorar cada vez mais e mais."
   Colorê Fantasias e Personalizados Vendas pelo Facebook, para todo o Brasil.


Flávia Rizzo, São Paulo -SP. Formada em administração, ex funcionária pública, atualmente artesã e confeiteira.

"Olá meninas. Meu nome é Flávia, sou formada em administração, pós graduada em engenharia da qualidade, ex funcionária pública, mãe, artesã e confeiteira.

Tive meu primeiro filho em 2005. Na época eu não conseguia ainda entender o que era ser mãe. Eu voltei de licença, deixando meu pequeno no berçário com 4 meses. Até 6 meses a dona da escolinha me autorizou amamentá-lo na hora do meu almoço, depois disso disse que não era mais permitido. Que a Lei não a obrigava, e que eu atrapalhava a rotina da escola. Eu acatei, nem discuti. Com 8 meses ele largou definitivamente o peito, e eu fiquei arrasada, mas achei que fosse normal... ele largou o peito sozinho. Depois acabei descobrindo que a escola fazia furos enormes nos bicos das mamadeiras para que as mamadas fossem rápidas. Que colocavam bastante Mucilon para alimentar, por isso as vezes eu buscava ele as 19h na escola e ele dormia até o dia seguinte.

Começaram ai meus questionamentos, minha tristeza por estar perdendo momentos super importantes no crescimento dele, mas eu não podia largar tudo e me dedicar à maternidade. Nesse momento não pensava em empreender, queria apenas ter mais tempo para ficar com meu filho...

O tempo foi passando, e quando ele tinha 6 anos, eu havia voltado a estudar (fazia MBA a noite... deixava ele as 7 na escolinha, meu marido buscava as 19h, e eu só ia vê-lo depois das 23h) descobri minha segunda gestação, e ai sim minha vida mudou.

Apesar de nessa época já ter licença de 6 meses, e eu conseguir ainda ficar com ele mais um mês por causa das férias, eu não estava satisfeita. Ia perder de novo os primeiros passos, as primeiras palavras... isso estava me matando por dentro, mas eu continuava firme no emprego. Meu mais velho com 7 anos passava a manhã no trabalho comigo, e na hora do almoço eu levava ele pra escola. Estávamos mais próximos, eu conseguia dar mais atenção a ele e isso era ótimo. O bebê por sua vez não mamava na escola. Recusou todos os leites artificiais que eu tentei, só aceitava meu leite, e que viesse do peito (mamou até os 3 anos <3). Com dois anos a turminha dele mudou, e ele simplesmente não se adaptou. Chorava quando ouvia falar na escola, chorava na porta da escola, chorava no trajeto... foi ai que tomei a decisão crucial, me demitir. Estava no meu limite, não conseguia lidar com esse sofrimento dele, sabendo que eu estava causando isso deixando ele num ambiente que ele não queria.

Comecei a pensar no que poderia fazer para não ficar ociosa, porque para quem ficava fora de casa 14h por dia, ter um dia todinho pra mim me assustava kkk

Foi ai que uma antiga paixão voltou: a confeitaria. Sempre gostei de cozinhar, mas nunca fiz excelentes sobremesas. Eram até comíveis, mas nada extraordinário. Decidi estudar, fui fazer cursos e me preparar para comercializar minhas delícias, e foi ai que surgiu o Dona Fla.



Amo o que faço, não me arrependo de ter tomado essa decisão, devia sim, tê-la tomado antes!


Hoje não trabalho só 8/9h.. trabalho todo o tempo que estou acordada rs Trabalho muito mais, mas consigo cuidar dos meus filhos de perto, almoçar e jantar com eles, levá-los à escola. Cuido da casa, da empresa, do marido, dos cachorros, dos filhos, e se sobra energia, cuido de mim.Sinto falta as vezes, de coisas que um emprego me traria, principalmente, da estabilidade, do salário certo todo mês, e isso a gente não consegue da noite pro dia, mas estar com meus filhos não tem preço, de verdade, não há estabilidade que pague !!!!

Sou feliz, sou mãe, sou empreendedora.




Dou 100% de mim todos os dias ao acordar, e agradeço a Deus, todos os dias, por tudo de bom que essa decisão nos trouxe."


Facebook: Doña Fla.  São Paulo -SP.


Gostaríamos de agradecer muito, à Nataly, Cris, Fabi e à Flávia, pela confiança no nosso trabalho, pela parceria e disponibilidade!

Amamos conhecer um pouquinho mais de cada uma e nos emocionamos com seus histórias, e claro, nos IDENTIFICAMOS demais! Com todos os dilemas, perrengues, vitórias e com a garra de vocês!

E para você, mamãe, que quer empreender, dar um UP na carreira, quer mudar de vida e não sabe por onde começar...comece pelo seu SONHO.

Comece de onde está e como dá! Não fique esperando a "Hora perfeita" pois na maioria das vezes ela não vem. Saiba que quando não vemos uma luz no fim do túnel ou uma saída, ainda assim é possível ascender um isqueiro e meter o pé na porta!Nós somos todas GUERREIRAS, batalhadoras e CAPAZES, pois a MATERNIDADE nos capacitou pra isso.

Quando nos tornamos mães, automaticamente nos tornamos mais fortes, mais resistentes, mais ágeis e criativas. A maternidade é como um "pacote de extensão", uma versão Premium de quem éramos. Fazemos um "UPLOAD" de nós mesmas para uma versão muito melhor e mais aprimorada. Talvez, você não tenha se dado conta disso AINDA.


Então, busque seus ideais e super - poderes que estão escondidinhos aí dentro.










E se quiser nossa ajuda, dê uma olhada nos links abaixo, talvez você curta!
-Especial Investimentos & Renda Extra -De olho na carreira: Os melhores cursos online gratuitos com certificação para começar hoje! -Mãe sem crise: Dicas de especialistas para administrar melhor o seu dinheiro -Driblando a crise: Ideias para conseguir uma renda extra investindo pouco



Obrigada! Gratidão imensa! E até a próxima!


Beijos carinhosos,


Bruna.
(www.brunastamato.com.br / facebook/brustamato)




Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

0 comentários:

Postar um comentário

Eu fico muito feliz com o seu comentário.
Gentileza gera Gentileza.
Deixe o link do seu blog para que eu possa visita-la também.
Andréia Sales



Subir

Siga a gente no Instagram @MaeVaidosa