Licença Maternidade Não é Férias

26 de abril de 2013

Licença maternidade não é férias


Minha licença maternidade foi um periodo de muita aprendizagem de como cuidar de uma criança.
Eu queria muito fazer um curso de gestante mas na minha cidade não tem esse tipo de curso, então tive que aprender com o instinto materno mesmo.
Minha mãe veio ficar comigo por 3 meses e me ajudar com Samuel.
Samuel nasceu uma criança tranquila e preguiçosa bem ao contrário do que se tornou hoje. Ele dormia o tempo todo e eu tinha que acorda-lo para mamar porque ele nem chorava. 
Os primeiros dias foram os mais difíceis, eu me adaptando a nova rotina e tive a ajuda do meu marido que deu o primeiro banho e trocou a primeira fralda.
Eu sempre pesquisei muito na internet e participava de grupos de discuções para saber lidar com todas as situações.
Amamentação pra mim foi algo muito estressante, eu não tinha leite, ficava nervosa por isso, Samuel não acordava pra sugar o leite, então foi muito complicado, eu então deixei pra lá e fui complemetando com Leite Artificial. A pediatra dele sempre me apoiou.
Fui aprendendo aos poucos a ser mãe, a cuidar dele, a não ter pressa.
Samuel era a alegria da casa.
Eu infelizmente tive somente 40 dias de Licença Maternidade. Tive que priva-lo deste tempo comigo por motivos financeiros, pois eu queria terminar a obra da minha casa nova e me mudar o mais rápido possível.
Então voltei a trabalhar meio periodo, ele ficava com a minha mãe e eu voltava pra casa pra cuidar dele.
Eu sempre dei conta de tudo pois ele sempre dormiu a noite inteira, meu marido me ajudava muito, tornando tudo mais simples.
O tempo que eu estou em casa é dedicado exclusivamente a ele, sempre fiz questão de cuidar dele, de deixar a papinha preparada quando ele começou a comer aos 6 meses.
Comemoramos todos os mesaniversários dele. 
Foram momentos únicos vividos, ele nos acompanhava a obra, foi criado com liberdade e sem frescuras, ficava no meio dos entulhos da obra, pisava no chão e ganhou imunidade. Nunca ficou doente e eu nunca faltei o trabalho por conta da saúde dele.
Aos 9 meses nos mudamos pra casa nova e eu vejo todo o meu esforço recompensado por ser uma vitoriosa e dar conta de trabalhar fora e cuidar da minha família.
Temos um tempo de qualidade juntos e ele é nossa prioridade.
 
 
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

13 comentários:

  1. Andreia, muito obrigada por participar. Essa é uma fase que com certeza acontece de forma muito diferente para cada uma, para cada realidade. Eu fiquei muito mais tempo com meu filho, amamentei, nunca tive frescuras com ele, e ainda assim , foi só eu voltar a trabalhar que meu filho começou a adoecer, eu tinha que levá-lo muito cedo todos os dias para a casa da tia do meu marido e apesar dele estar super agasalhado ele pegou uma pneumonia aos 5 meses, foi do tipo viral, tinha um rapaz no meu trabalho que estava doente, eu não adoeci, mas levei pra casa o virus :( . E desde então foi difícil reforçar a imunidade dele. Mas eu tenho 02 empregos e cada tempo livre é dedicado ao meu filho, que é uma criança forte, alegre, independente e muito criativo.

    Adorei o seu texto ainda mais por ser uma história um pouco diferente.

    Beijos

    Jackeline Graça

    ResponderExcluir
  2. Andrea!

    Vim conferir a sua participação e as experiências emocionantes da BC.

    Meus parabéns pelo Samuel. Contar com a ajuda da vovó é sempre muito especial

    Beijo!

    http://www.crescendojuntas.com/2013/04/licenca-maternidade-nao-e-ferias.html

    ResponderExcluir
  3. Olá Andrea. Quando se tem a ajuda de alguém especial e que entende a gente é muito mais tranquilo. Não tive meus pais perto.. Foi uma pena. Mas também não tive interferências de outras pessoas que só servem para palpitar de forma errônea e nos deixar mais intranquilas.

    Com isso eu e meu marido, aprendemos tudo sozinhos..
    E foi uma benção isso.

    Ele também, como o seu, trocou a primeira fralda na maternidade. E ajudou (e ajuda) muito nesse periodo dificil e cheio de novidades..

    Ao contrario de Samuel que não acordava para mamar, minha Maria acordava de 3 em 3 horas.. Era uma bezerra.. Mas mesmo assim posso dizer que foi tranquila minha amamentação..

    Nem todos são assim, como você, muitas mães tem que voltar ao trabalho cedo. Pq precisam mesmo...
    E cada um leva do jeito que pode e consegue, mas sempre com amor..muito amor..

    Parabéns pela blogagem coletiva. Seja sempre bem-vinda no MR.
    Beijos

    Teresinha Nolasco
    Mamães em Rede e Bolhinhas de Sabão para Maria

    ResponderExcluir
  4. Andrea,

    Nossa o sonho que procuro até hoje dormir uma noite inteira, melhorou muito, mas ainda não obtive essa vitória.
    Tenho certeza que você fez o melhor para sua família, que bom Samuel era um bebê bonzinho, pois as minhas meninas era 3 esfomeadas, mamavam de 2 em 2 horas devido ter nascido prematura e com baixo peso. Agora são 3 meninonas lindas e forte (elas tem uma saúde muito boa), nem de longe parece aqueles bebês frágeis que chegaram lá em casa.

    Tri-beijos Desirée (também participando da BC).
    http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi!! Amiga q bênção o Samuel nos primeiros dias... ouço algumas pessoas falarem e fico tentando imaginar como seria, pq ainda hj não durmo a noite inteira kkkk
    Vc voltou a trabalhar mt rápido... imagino como ficava seu coração, mas temos q priorizar e como pôde contar com a sua mãe, ficamos um pouco mais tranquilas.
    Parabéns pelas conquistas! bjss

    ResponderExcluir
  6. Imagino como se sentiu voltando tão rápido ao trabalho, mais nos sabemos que sempre pensamos no melhor para o filho... Aqui em casa era a mesma coisa, ele dormia bastante de dia, mais dormir a noite inteira era luxo, isso só aconteceu com 1 ano e 1 mês, foi quando saio do peito... Parabéns vc é uma mãe e mulher vitoriosa. Bjs
    Vivi e Isaac

    ResponderExcluir
  7. É dificil esse tempo ne..
    Mas tudo se torna mais facil com a ajuda das pessoas que estão ao nosso redor...
    Torcer para que possa aumentar esse tempo...
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Que maravilha sua mãe ter te ajudado. Acho que não conseguir amamentar deve ser mesmo muito estressante no início.

    A gente precisa fazer escolhas pensando no melhor pra eles.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Filhos Andrea são benção pra nossa vida não importa qual o momento.
    Bju

    ResponderExcluir
  10. Andreia, você deu uma sorte imensa sua mãe ter te ajudado nos primeiros meses. E concordo com você, aliás você fechou o post com chave de ouro "ele é nossa prioridade."
    Isso aí

    Beijos
    Lilia

    ResponderExcluir
  11. Oi Andrea!Um relato muito legal dos primeiros dias do Samuel!Como aprendemos com a vida nessa fase!Linda sua participação!bjs,

    ResponderExcluir
  12. Que legal, Andrea! Imagina que orgulho em construir sua casa e ainda dando conta de tudo?
    Parabéns mesmo!!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. A maior imunidade que uma criança pode ter é o amor da família!!

    ResponderExcluir

Eu fico muito feliz com o seu comentário.
Gentileza gera Gentileza.
Deixe o link do seu blog para que eu possa visita-la também.
Andréia Sales



Subir

Siga a gente no Instagram @MaeVaidosa