Chegou a hora de comer

15 de julho de 2012

Achei interessante esse artigo que saiu na Claudia Bebê e resolvi postar.
Pois tenho muitas dúvidas a respeito da alimentação do Samuel.

Introdução de alimentos no pratinho do bebê 

Aos seis meses, o leite materno deixa de ser a única fonte de nutrição do bebê e ele deve ser apresentado a outros alimentos. Aprenda, passo a passo, a fazer essa adaptação

A partir de agora, mesmo ainda sendo amamentado no peito, o bebê precisa dos nutrientes de outros alimentos para sustentar o crescimento saudável. O leite continua tendo um papel importante, mas sucos e papinhas doces e salgadas devem entrar em cena, complementando a alimentação do pequeno. Nesse processo, além de apresentar ao filhote novos sabores e texturas, você terá a chance de ajudar seu filho a construir práticas saudáveis de alimentação. “Os hábitos alimentares não são herdados, mas adquiridos. Por isso, o papel dos pais no desmame é essencial”, afirma a pediatra Maria Aurora Brandão, do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo.

Passo a passo
A introdução de novos alimentos deve ser feita de maneira gradual, sempre observando se a criança está tolerando bem a transição. “Na maioria dos casos de alergia alimentar, os sintomas são gastrointestinais, como vômitos e diarreias. Um número menor de bebês pode apresentar vermelhidão e ressecamento da pele; e uma minoria manifesta problemas respiratórios”, explica o pediatra Antonio Carlos Pastorino, da Unidade de Alergia e Imunologia do Departamento de Pediatria da Universidade de São Paulo. Diante de algum desses sinais, é preciso evitar os alimentos suspeitos e pedir a orientação do pediatra. Agora, se tudo vai bem, basta avançar, etapa por etapa, na rotina do desmame.

1. Dar suco no copinho de transição, evitando mamadeira
2. Não colocar açúcar nas papinhas de fruta
3. Evitar sal
4. Substituir temperos prontos por ervas frescas
5. Oferecer as refeições em horários fixos, longe da TV
6. Amassar a papinha com garfo em vez de bater no liquidificador ou passar na peneira. Isso preserva as fibras e estimula a mastigação
7. Abolir pratos industrializados
8. Preferir frutas, legumes e verduras da estação
9. Entender que os pequenos comem sempre de acordo com suas necessidades. Nem mais nem menos
10. Dar papinhas congeladas nos dias de correria. Congelar não provoca grande perda de nutrientes

Frutas, oba!
O desmame começa com o oferecimento de um suco de frutas, de preferência pela manhã, entre as mamadas. “A laranja-lima costuma ser bem aceita por causa do sabor doce. Mas, aos poucos, é interessante diversificar e até misturar duas ou três frutas no mesmo suco para despertar o paladar da criança”, ensina o pediatra e nutrólogo Fábio Ancona Lopez, professor da Universidade Federal de São Paulo.

Depois de alguns dias, também as papas de frutas podem ser introduzidas, como um lanche da tarde, no intervalo das mamadas. Raspadinhas ou amassadas, elas ajudam a criança a treinar a capacidade de receber alimentos com a colher. Não se assuste se, no começo, seu filho cuspir tudo que você oferecer. “Esse movimento é involuntário. Para evitálo, a mãe deve colocar a comida mais ou menos no meio da língua do bebê e ter paciência. Dois ou três dias são suficientes para que o pequeno aprenda”, garante Maria Aurora.

A partir daí, tanto o suco quanto a papinha continuam na dieta da criança como uma saudável opção de lanche pela manhã e à tarde.

Os hábitos alimentares não são herdados, mas adquiridos. Por isso, o papel dos pais no desmame é essencial - Maria Aurora Brandão

Venham os salgados
Depois de pelo menos 15 dias tomando suco e comendo frutas amassadas, chega a vez da papa salgada, inicialmente em substituição a uma mamada próxima do horário do almoço. “Sugiro que as mães comecem refogando uma folha, uma raiz e um legume com temperos suaves e sem sal. Quando estiverem macios, eles podem ser amassados com um garfo e oferecidos ao bebê”, ensina Lopez.

Assim que seu filho se acostumar ao paladar salgado, essa papa básica deve ser incrementada com a adição de cereais (arroz, aveia, milho), leguminosas (feijão, ervilha, lentilha), carnes e ovos. “No início, é melhor cozinhar a carne junto com os legumes e retirá-la no final. Aos poucos, conforme a criança demonstrar aceitação, a mãe pode oferecê-la também – bem desfiadinha para evitar engasgos”, diz ele.

A orientação de só introduzir peixes e ovos após os 12 meses caiu por terra. Hoje, os pediatras já sabem que, quanto antes eles forem consumidos, menor o risco de alergias. Ainda não há, porém, consenso sobre a melhor fase para adicioná-los às papinhas. Na dúvida, siga a recomendação do pediatra. “No caso específico dos ovos, é melhor introduzir primeiro a gema”, aconselha Lopez.

Cerca de dois meses após o início do desmame, uma segunda refeição salgada pode ser oferecida no lugar da mamada que acontece por volta da hora do jantar. Gradualmente, também a consistência das papinhas deve ser modificada, passando de semissólida para sólida. O objetivo é que, por volta de 1 ano, seu pequeno gourmet já esteja à mesa com a família compartilhando os mesmos alimentos que todos os integrantes da casa.

20 é o número de vezes que você deve oferecer um mesmo alimento ao bebê para ter certeza de que ele realmente não gostou daquele sabor.

Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

Um comentário:

  1. Menina bom dia!!!! adorei este post em especial, minha bebe esta com 5 meses e eu me preparando para a introduçao da alimentação e seu post é tão completo e com dicas tão interessantes que já comecei a criar coragem para iniciar essa transição, na verdade não quero desmamar por completo por isso estava meio apreensiva bjuss seu cantinho me foi de grande ajuda....

    ResponderExcluir

Eu fico muito feliz com o seu comentário.
Gentileza gera Gentileza.
Deixe o link do seu blog para que eu possa visita-la também.
Andréia Sales



Subir

Siga a gente no Instagram @MaeVaidosa